domingo, fevereiro 15, 2015

INIMIGOS INTERNOS DE NOSSA MAÇONARIA UNIVERSAL
 
- O que vindes fazer aqui?

- Vencer minhas paixões e submeter minha vontade...........! Dizemos, repetimos, ensinamos e, mesmo assim, frequentemente, assistimos ao descaso com esta instrução.

O Cinzel é um símbolo que nos remete à reflexão, ao desenvolvimento do senso critico, ao discernimento, e à educação. Sua missão é aparar as arestas e dar forma à pedra e ao Ser. Assim sendo, nos encaminha também ao labor na direção do progresso do Obreiro, da Instituição e da Obra.

O Cinzel está vinculado ao Grau de Aprendiz. E como estamos eternamente em aprendizado, devemos tê-lo sempre à mão. Indiferente de Graus alcançados e Cargos que conjunturalmente ocupamos, estamos sempre sendo observados e servindo de instrução viva de como agir. Por isso e exatamente por isso, somos modelo de conduta.

Em período de disputas eleitorais vemos e ouvimos grandes Irmãos que, abandonando o cinzel e vociferando publicamente tentam arregimentar eleitores a todo custo. Dizem impropérios sobre seus Irmãos e sobre os administradores de nossa Ordem.

Tresloucados, visitam Lojas, telefonam para os Irmãos com o discurso do ódio e se dizem perseguidos, enganados e afastados dos momentos decisórios. Por incompreensão da sua visão pessimista e desagregadora, agem, paranoicamente, como se sempre existisse um complô contra eles. E quando a Justiça Maçônica se manifesta contrária, se dizem injustiçados questionando a capacidade intelectual e a idoneidade moral dos nossos Meritíssimos Irmãos.

E o que nós, Irmãos Eleitores, devemos fazer?

Com o Cinzel, que nas eleições se transmuta em voto, seguir o caminho reto à urna, observando a marcha de três passos:
1º) Verificar o passado dos candidatos para ver se há alguma mácula.
2º) Conhecer as metas e programas dos candidatos.
3º) Procurar saber quem são os Irmãos que apóiam os candidatos.

Preocupado com os caminhos tortuosos que se avizinham, com a ganância e vaidade que tomam conta do homem e procurando alertar os Irmãos, faço coro com o Irmão mexicano, Armando Ramos:

Atualmente, nos aflige a concretização de vários conflitos, atos de manobras políticas e problemas de controle(emocional) que fazem ondas furiosas e agitadas, a quem devido a sua baixa profundidade cognitiva, de graus que ostentam, mas que mostram claramente que ainda não alcançaram a consciência maçônica. Por não ter o conhecimento necessário, não saberão nadar nas águas que navegam.”

Este artigo foi inspirado no livro CADERNOS DE PESQUISAS MAÇÔNICAS - VOLUME 10 (1995), sendo um de seus autores, o Irmão ARMANDO RAMOS VALDEZ do Oriente de Tepic Nayarit - México, que, na página 53, se manifesta sobre Los Enemigos Internos de Nuestra Masoneria Universal:

Dandose a si varios conflictos, actos de maniobra y control politico, problema, actualmente nos aqueja; hacen olas embravecidas agitadas quienes debido a su poca profundidade cognitiva, de grados que ostentan demuestran que aun no han adquirido conciencia Masonica, pues no conocen nada y por lo tanto no sabran nadar en las aguas que navegan.

 

Nenhum comentário:

Postar um comentário