segunda-feira, maio 09, 2016

AIM
Na demonologia, '''Aim''', ou '''Aym''', ou '''Aini''', ou '''Haborym''', é o vigésimo terceiro Duque dos Infernos, e tem sob seu comando mais de vinte e seis legiões de outros demônios.

Ele estabelece cidades, castelos e casas em grandes incêndios, torna os homens inteligentes em todos os sentidos, e dá respostas verdadeiras questões relacionadas com a vida privada.

Ele é retratado como um homem bonito, mas com três cabeças, uma de uma serpente, a segunda de um homem com duas estrelas em sua testa, e a terceira de um gato. Ele está cavalgando uma víbora, e em sua mão, leva um pedaço de lenha acesa ou meio queimada com que ele apresenta o pedido de coisas a arder


Na demonologia, Bifrons, era um demônio, Fidalgo do inferno, com seis legiões de demônios (vinte e seis segundo outros autores) sob o seu comando. Ele ensina ciências e artes, as virtudes das pedras e madeiras, ervas, e muda corpos das sepulturas originais para outros lugares, por vezes, colocando luzes mágicas sobre as sepulturas, que parecem velas. Ele aparece como um monstro, mas, em seguida, pode mudar sob a forma de um homem.
A origem do seu nome, vem do Deus romano Bifrons (Janus)
Outras ortografias : Bifrovs, Bifröus
Bifrons foi também um dos nomes dado a Baphomet, alegadamente adorado pelos Cavaleiros Templários, que foi descrito como uma estátua com duas cabeças, certamente, inspirado no Deus Romano Bifrons, um olhar para a esquerda, para dizer o passado e olhar para o outro o direito de dizer o futuro, tudo isso por meio do poder de um demônio (houve outras suposições sobre a figura do Baphomet
).


LILITH
O jardim do Éden
Eu conheci...
Submissa jamais
Alcei vôo, me ergui
Por outros planos astrais...
Metamorfose soberana,
De escrava a rainha,
Da opressão insana
A liberdade que eu não tinha.
Não sou caça
Sou caçadora.
Recebi de Satã a graça
De ser dominadora,
Deusa lunar e vencedora.
De Lilith sou chamada,
Por muitos evocada,
Mas permaneço desconhecida,
Misteriosa e indecifrada
Ao alcance de poucos...
Desdenho dos loucos
Navegantes da ignorância terrena
Desconhecendo o meu poder
Me julgando apenas obscena
Alimentando a tola ilusão
De terem minha essência em sua mão.
Poucos são dignos de receber a minha luz
Nas trevas de sua vida.
Ninguém me conduz,

Baal
É o grande poderoso duque dos infernos, que comanda 66 legiões de demônios.É descrito como uma quimera, de três cabeças. A primeira delas que fica no centro tem face de homem portando uma coroa de ouro brilhante, a segunda de um sapo e a terceira de um gato. Seu peito é humano e o resto do corpo de aranha caranguejeira. Ele tem a capacidade de se movimentar como esses animais, principalmente em suas corridas.Governa os ventos do outono e do hemisfério norte. Baal era invocado para tornar o invocador invisível, e o mês de outubro era aonde aparecia mais forte, quando invocado, ensinava os homens com uma voz rouca os deixando sábios.


dos e futuros, pode descobrir coisas escondidas e perdidas e tem uma "boa" natureza.[1]
Ele pode ser descrito em A Chave Menor de Salomão como :
O Terceiro Espírito é um poderosíssimo Príncipe, sendo da mesma natureza que Agares. Ele é chamado por Vassago. Este espírito é de uma boa natureza e sua função consiste em declarar coisas passadas e coisas que ainda virão a acontecer, e para descobrir todas as coisas escondias ou perdidas você tem que seguir as ordens dele. E ele governa 26 Legiões de Espíritos e este é o seu selo.


Dziwozoana ou Mamuna são demônios do pântano do sexo feminino da mitologia eslava conhecido por ser malicioso e perigoso. Conta a lenda que esses demônios eram parteiras, solteironas, mães solteiras, mulheres grávidas que morrem antes do parto, bem como as crianças abandonadas, que morreram de alguma forma e levaram uma grande angústia consigo. Às vezes eles sequestram homens jovens para serem seus maridos. O Dziwozona tinha seios enormes que eles usava para atacar e assassinar.


Nenhum comentário:

Postar um comentário