sexta-feira, outubro 31, 2014

Escada de Jacó



Oriente de Porto Alegre, 29/05/2014.


Diogo Bueno da Silveira
M\M\ da L\ Luz e Ordem
           
            À G\D\G\A\D\U
           
           
Gênesis 28 - 10: "E Jacó seguiu o caminho desde Bersba e dirigiu-se a Harã". 11: "Com o tempo atingiu certo lugar e se preparou para ali pernoitar, visto que o Sol já se tinha posto. Tomou, pois, uma das pedras do lugar e a pôs como apoio para a sua cabeça e deitou-se naquele lugar ". 12: "E começou a sonhar, e eis que havia uma escada posta da terra e seu topo tocava nos céus; e eis que anjos de Deus subiam e desciam por ela". 17: "Jacó acordou do sono e disse "Verdadeiramente, Jeová está neste lugar e eu mesmo não o sabia". 18: "E ficou temeroso e acrescentou; "Quão aterrorizante é este lugar" Não é senão a casa de Deus e este é seu portão de entrada".
 Caros IIr\

A partir dessa passagem do Gênesis do L\L\, temos que o trabalho a ser apresentado é acerca da Escada de Jacó.
Como minha primeira Instrução como MM\, escolhi o tema acerca da Escada de Jacó por ser um assunto, a meu ver, de suma importância para a compreensão do porquê do aprimoramento humano.
Jacó é considerado o patriarca do povo de Israel, ao lado de Isaac e Abraão, tanto o é que foi rebatizado com o próprio nome da Nação que estava sendo criada.
Os adjetivos que descrevem Jacó, a partir da tradição bíblica, podem ser muitos, mas acredito que o personagem bíblico possa ser descrito como Astuto (Gn 25:31-33), Enganador (Gn 27:18-19), Pecador (Gn 27:42,43), Religioso (Gn 28:10,20,21), Afetuoso (Gn 29:18), Trabalhador (Gn 31:40), Habituado à oração (Gn 32:-12,24-30), Disciplinado (Gn 37:28,42:36) e Homem de Fé (Hb 11:21).
Depreende-se de tais descrições que há uma escalada, uma subida ou até mesmo uma melhora na personalidade do sonhador.
Na Maçonaria encontramos a Escada de Jacó disposta no Painel da Loja no Grau de Aprendiz onde representa o caminho entre a Terra e o Céu, ou a ligação entre o mundo terreno e espiritual, profano e sagrado.
A escada vista por Jacó em seu sonho simboliza o ciclo evolutivo da vida, em seu constante e eterno ir e vir.
Segundo a tradição maçônica, a Escada de Jacó consta de quatorze degraus. Na verdade seus degraus são tantos quantos sãos as virtudes necessárias ao aperfeiçoamento de cada um[1]. As três virtudes mais importantes são a Fé, a Esperança e a Caridade[2][3], ali simbolizadas pela Cruz, a Âncora e o Cálice.
A escada pode ser traduzida como a constância do aprimoramento do ser humano, e para nós maçons o aprimoramento de nossas obrigações, uma vez que as Virtudes para o profano é a obrigação do Ob:..
O Ap\M\, ainda neófito, galga os degraus da Escada de Jacó almejando o aperfeiçoamento de seu Templo Interior. Praticando as Virtudes como Obrigação inata ao Maçom, sua elevação espiritual é destino certo. A Tolerância e Perseverança, abnegação do espírito e fuga dos Vícios é o início da trajetória.
Devemos ter em mente que a Escada de Jacó é a escada das Virtudes e da Santidade. Para nós, maçons, devemos entender que é o caminho a ser trilhado entre o estar profano e o ser virtuoso.
As virtudes humanas que devem ser buscadas por todo maçom que almeja galgar os degraus da Escada de Jacó são perfeições habituais e estáveis da inteligência e da vontade, que regulam os nossos atos, ordenam as nossas paixões e guiam a nossa conduta segundo a razão e a fé. Adquiridas e reforçadas por atos moralmente bons e repetidos, são purificadas e elevadas pela graça do G\A\D\U\.
Em resumo, a Escada de Jacó é o caminho que o maçom deve trilhar para alcançar a plenitude de sua vida terrena e almejar a plenitude espiritual. Nas palavras de São Gregório de Nissa, “O fim de uma vida virtuosa é tornar-se semelhante a Deus”.
      

Fontes de pesquisa:
DA CAMINO, Rizzardo. Simbolismo do Primeiro Grau “Aprendiz”. Rio de Janeiro. 1998.
CASTELLANI, José. Liturgia e Ritualística do Grau de Aprendiz Maçom. São Paulo. 1985.




[1]                      Fé, Esperança, Caridade, Fidelidade, Justiça, Auto-Estima, Coragem, Temperança, Hospitalidade, Prudência, Gratidão, Simpatia, Humor e Tolerância.
[2]                      Virtudes Teologais.
[3]                      Compêndio do Catecismo da Igreja Católica, pesquisado no site http://www.ecclesia.pt/catecismo em 09/08/2012, 16h.

Nenhum comentário:

Postar um comentário